Imagem: Banco de imagens
Imagem: Banco de imagens

Todo ano nessa época eu sou acometida pelo mesmo mal! Não sei como nomeá-lo, podemos tentar: saco cheio, preguiça, acaba ano… Sei lá. A verdade é que nesse período eu não quero saber de mais nada, além de sombra e água fresca.

É o tempo que você já está exausto das rotinas do ano inteiro, e olha que minha vida não é rotineira! Já não aguento me exercitar, limpar casa, lavar roupa, fazer comida, ir ao mercado, trabalhar. Não aguento mais seguir a dieta, pensar na crise do país. Não aguento mais ler sobre a Joelma e o Chimbinha!!!! Tudo já deu!

A paciência, que eu já não tenho, está ainda menor! E como eu lido diretamente com pessoas todo dia, não aguento mais o ser humano! Hoje, por exemplo, o cliente me pediu para enviar fotos de capinhas de certo modelo de celular (para entender: vendo capinhas de celular pelo Whatsapp), enviei todas, na maior boa vontade. O que recebo em troca?! “Ou masculina pow”. Amigo, eu não tenho bola de cristal… e você é uma dessas pessoas sem identidade, a qual a foto de perfil é junto com alguém! Fora o assassinato da língua portuguesa que já aguento diariamente.

A única coisa que consigo visualizar é o azul do mar, o sol… Os ambulantes me oferecendo comida (são os únicos gritos que não me incomodam na vida!)… Aí depois de ficar o dia inteiro estirada na areia feito lagartixa, à noite você caminha sob a brisa do mar… tomando um sorvetinho… sim… estou delirando já!

O bom é pensar que daqui a alguns dias isso passa. E você pode ter a doce libertação do descanso. Montar os enfeites de Natal e ter a energia boa das festas de fim de ano. E já penso em uma promessa para 2016. Programar para tirar duas férias no ano, como nos tempos da escola.

Anúncios