Imagem: Banco de imagens
Imagem: Banco de imagens

Há um tempo venho querendo escrever aqui sobre relacionamentos e não sabia como abordar o tema. Então resolvi começar da seguinte forma: acho um absurdo como as pessoas estereotipam os relacionamentos.

Se você já namorou por muito tempo ou está perto da casa dos trinta, tem conhecimento de causa. Aparece um bando de gente para dar pitaco na sua vida, porque se você se encontra em alguma dessas condições, ou pior, nas duas, está na hora de casar! Oi? Minha gente, não tem esse negócio de hora para casar! Cada um casa na hora que bem entende e se quiser.

Eu já declarei lá em casa que não vou casar, nem ter filhos. Algumas pessoas já me disseram que eu não achei a famosa “alma gêmea, bate coração”, sei lá, pode ser. Nada é definitivo, por enquanto a maternidade não me chamou, que assim continue por um bom tempo. Uma coisa é certa: nunca sonhei em casar na igreja com um vestido branco arrastando pelo tapete vermelho, urgh! Nunca brinquei de casamento colocando uma fronha na cabeça como a Mônica de Friends. Se fosse pra casar seria em uma praia, descalça. Mas, que fique bem claro, respeito quem gosta e acho até muito bonitas algumas noivas.

Há alguns dias, o solteirão convicto George Clooney se casou em uma cerimônia com toda pompa e circunstância em Veneza. Ah que lindo! Nunca achei que Clooney se casaria. Então eu li um texto do blog da Nina Lemos, intitulado “Eu queria ser o George Clooney” que me inspirou. Em um determinado trecho ela diz assim: “Eu queria tomar tequila e fumar charuto em um hotel de Veneza. Fechar a cidade! Passear em um cortejo de barco reencenando um filme do Fellini. Eu queria resolver casar só aos 53 anos, depois de ter vivido a vida adoidado, sem nunca ser julgado por isso ou chamado de encalhado.”

Precisa falar mais? Eu quero poder fazer da minha vida o que eu bem entender e a hora que quiser, sem narizes torcidos para mim ou alguma tia velha falando “na minha família não tem mulher solteira não”, sim, eu ouvi isso!

Anúncios